Design Thinking: inovação na hora de criar solução

12.novembro

Agência da 4Buzz

Por Rafaell Ribeiro – Redator na 4Buzz

 

Quando o briefing chega à agência, a equipe de criação entra em ação para entender a “dor” do cliente e encontrar soluções para aquele problema.

Cada equipe tem o seu espírito e sua forma de trabalhar, e no meio desse processo criativo muita coisa pode dar errada se o foco dos profissionais não estiver no lugar certo.

Então, que tal reformular o modo de pensar para beneficiar a criação e a entrega para o cliente?

Desenvolvida na Universidade Stanford, Design Thinking é uma abordagem prática e interativa entre pessoas com diferentes conhecimentos, ou seja, de diversas áreas de uma empresa, que se unem para criar um produto ou experiência com foco em todas as pessoas envolvidas e não apenas no consumidor final.

 

 

AS ETAPAS DO PROCESSO CRIATIVO

Primeiramente, deve-se notar que Design Thinking não é uma metodologia, mas sim uma forma diferente de, em uma reunião, encontrar a solução de um problema de forma eficiente e criativa.

 

Imersão e informação

Para iniciar o processo de Design Thinking, as pessoas envolvidas se reúnem para buscar o máximo de informação possível sobre o projeto e a sua finalidade.

Analisar para começar

Espera-se que o volume de informações seja grande. Então, o próximo passo é analisar tudo o que foi levantado, separar o que é importante e partir para o processo abaixo.

Ideias, ideias e mais ideias

Equipe reunida, então, começam as ideias sem qualquer tipo de mensuração. Nessa etapa, o objetivo é conseguir o máximo de construções criativas de cada participante, gerando várias alternativas para criar o produto ou experiência visando a necessidade do cliente.

Validação das ideias

Com tantas ideias à mesa, agora a equipe passa a ser racional e começa a tirar do papel as que são eficientes para a solução do problema do cliente e que possam ser viabilizadas levando em conta custo, tempo de implementação e produção.

 

É importante saber que o Design Thinking não é uma abordagem cujas regras precisam ser cumpridas de forma burocrática e as etapas acimas podem ser executadas de forma não linear.

 

Durante todo o processo de Design Thinking, é importante cada membro da equipe ter empatia com os outros participantes e notar que esse exercício não está sendo realizado para pessoas, e sim, com pessoas, porque é isso que faz o Design Thinking ser diferente na hora de encontrar soluções para o cliente.

 

A necessidade de inovação de organizações de diversos portes e segmentos em seus processos e produtos em busca de competitividade, fidelização e aumento do número de clientes, torna a abordagem do Design Thinking cada vez mais atraente pois a solução criativa para velhos problemas exige novas ideias.

Posts relacionados:

performance

10.julho. por Rodrigo Vanzan

Qual a diferença entre uma house e uma agência de publicidade, e...

Se o seu negócio já desenvolve estratégias de comunicação estruturadas ou vem demonstrando que essa é uma necessidade real, certamente você...

Ver mais
branding criação

15.maio. por Rafaell Ribeiro

Nossos clientes e as criações durante a quarentena

A pandemia do novo coronavírus afastou as pessoas das ruas e as aproximou do mundo virtual. Quando o período de quarentena...

Ver mais
branding criação

17.maio. por Leonardo Vituri

Quais marcas estamos deixando nas pessoas?

Conscientemente ou não, impactamos pessoas em nossas trajetórias, seja por nossas criações, presença, talento, defeitos, ideias, seja lá o que for.

Ver mais
criação

7.maio. por Gustavo Emílio

O poder e os resultados da comunicação nos negócios

Considerando o título desta leitura no contexto de empresas, fica claro que colaboradores só se sentem motivados, engajados e, principalmente, dispostos...

Ver mais